The Magus Era Capítulo 1


<-Capítulo AnteriorÍndice | Próximo Capítulo->

Capítulo 1 – Caçador

O Deserto do Sul, uma selva primitiva de ninguém.

Miasma venenoso espiralava em torno do topo das altas, árvores antigas. O miasma refletia a luz do sol, criando coloridos raios de luz que se misturavam em um grande arco íris.

Viajando sobre ela estava uma ilha flutuante com uma circunferência de várias centenas de milhas. Dúzias de cachoeiras que pareciam dragões brancos rugiam das bordas da ilha. Um tornado soprou, dispersando as cachoeiras em uma nuvem de névoa. Dúzias de arco íris estavam dançando ao redor da névoa, complementando o miasma colorido que circundava os topos das árvores.

Ji Hao estava em pé na borda da ilha, olhando para baixo na vasta selva do Deserto do Sul.

Uma brisa levantou o cabelo de Ji Hao. Ele tinha um determinado e delicado rosto e um par de profundos, olhos misteriosos, que brilhavam. Quando Ji Hao focou o seu olhar em certa área, nove escuras marcas roxas e douradas brilharam [1] aparecendo subitamente ao redor das pupilas de seus olhos, na qual, apesar de parecer digno e misterioso, fez a outras pessoas se sentirem inconfortáveis de olhar diretamente neles.

Um simples manto de couro envolvia suas costas. Duas afiadas sobrancelhas golpeavam suas têmporas, seu nariz era alto e reto e seus lábios foram angulares e retos. De tempo em tempo, os cantos de sua boca iriam formar um leve, sorriso de escárnio. Este belo e atraente jovem, Ji Hao, não parecia se importar com qualquer em seu coração.

Ji Hao parecia igual uma pinha na qual foi firmemente enraizado nas rochas, não importa o quão feroz o vento e a chuva estavam ou o quão pesado os trovões e relâmpagos rugiam, ele parecia estar imóvel e indestrutível igual a uma montanha.

Um gigantesco corvo com asas de mais que trinta pés, estava em pé ao lado de Ji Hao. Suas pupilas vermelhas pareciam fracamente ardentes. O corvo virava sua cabeça e olhava ao seu redor a todo o momento.

“Sr. Corvo, nós estamos simplesmente tomando um descanso. Relaxe.” Ji Hao bateu em uma de suas penas e falou. “Depois, nós iremos pegar para você uma serpente para encher o seu estômago, então nós iremos para o Vale do Vento Negro. Vamos ver se nós podemos achar alguma ‘Planta do Dragão do Vento’ para Abba.”

O corvo gritou algumas vezes e então bicou a cabeça de Ji Hao intimamente com o seu bico afiado.

Ji Hao levantou sua cabeça e espreguiçou os seus braços. Ele bocejou e falou. “Confortável, tão confortável. Não precisar estar com aqueles vovôs e estudar grama… Casca de árvore… Presas de cobra… Ou sacos de veneno… Tão bom!”

“Hey, realmente existem pessoas que não temem a morte? Aquelas cobras fedidas não sabem que esta selva pertence a nós, o Clã Corvo de Fogo? Este é o território do Clã Corvo de Fogo!” Falou Ji Hao. Ele olhou ao redor, então alargou os seus olhos subitamente e apontou para baixo na selva.

Um grupo de topless, resistentes homens com dois metros de altura, com cicatrizes que cobriam todo o corpo deles, foi vagando ao redor na selva. Eles estavam carregando uma variedade de presas caçadas sobre os seus ombros. Ji Hao olhou cuidadosamente, tinham tigres, leopardos e ursos; cada um deles tinha dez metros de altura, iguala uma pequena montanha de carne.

“Bastardos! Esta é a área de caça do Clã Corvo de Fogo. Esses animais são nossos! Esses animais, mesmo o menor pode alimentar uma criança por um ano inteiro. Se você pegassem e limpassem as peles deles, você poderia mesmo trocar por três jovens mulheres com todas essas peles!”

Ji Hao gritou. Ele abriu os seus braços, prendeu os seus dedos juntos [2] e formou um feitiço. Subitamente, a cachoeira mais próxima a ele tremeu e não mais caia para baixo; um poder misterioso virou a cachoeira por trinta graus em direção àqueles homens na selva.

Aqueles guerreiros do Clã da Serpente Negra das Águas estavam caminhando alegremente na selva, quando a cachoeira se transformou em uma pesada chuva caindo sobre a cabeça deles. Eles viram a cachoeira, riram sonoramente, abrindo suas bocas e a direcionando para beber a gelada e doce água vertente que caia do céu.

O homem que caminhava na frente tinha uma Serpente de Um Chifre de dez pés enrolado em seu corpo, na qual encorpava o seu corpo grandemente. O banho súbito pareceu o fazer se sentir incomparavelmente alegre. A Serpente de Um Chifre é a fera de batalha especial do Clã da Serpente Negra das Águas. Somente os guerreiros de elite tinham a qualificação para ter a Serpente de Chifre como um contrato de fera lutadora, ajudando eles a matar em batalha.

Na chuva torrencial, as gotas de chuva viraram subitamente em linhas que então lentamente se reuniram em transparentes cordas de água, na qual silenciosamente e abruptamente se enrolaram em volta dos pescoços dos homens.

“Inimigos… Uma emboscada!” Rugiu o líder, sua voz cheia de medo.

Eles tinham sidos acabado de serem atacados por um feiticeiro de magia da água?

Mas para emboscar os seus inimigos em uma chuva torrencial é uma das especialidades do Clã da Serpente Negra da Água. No Deserto do Sul, o arqui-inimigo do Clã Serpente Negra da Água era o Clã Corvo de Fogo, que foram especialistas em feitiços de fogo. Eles nunca tinham ouvido de um guerreiro Mago do Clã Corvo de Fogo que poderia lançar um feitiço de água.

Ji Hao mudou os gestos de sua mão. As cordas de água balançaram violentamente e enviou homens voando. Um depois dos outros, eles foram esmagados violentamente sobre as árvores e desmaiaram.

Somente o líder resistiu ao rasgar a corda de água em seu pescoço, o despedaçando em incontáveis gotas de água. Um buraco do tamanho de um tanque de água apareceu sobre a copa das árvores por trás dele, claramente mostrando o quão forte seu corpo era.

“O covarde que somente ousa usar emboscadas, mostre o seu rosto!” O homem provocou com uma longa lança e gritou com raiva.

A serpente de um chifre se desenrolou do corpo do homem, se movendo agilmente na chuva pesada, dispersando uma gelada fumaça negra de tempos em tempos.

“Sr. Corvo! Vá!” Ji Hao subiu nas costas do corvo. O gigantesco corvo abriu suas asas e soltou um afiado grito, cobrando em direção ao homem furioso.

A ilha flutuante estava a poucas milhas acima do solo. O corvo mergulhava com a velocidade de um relâmpago, alcançando a floresta dentro do tempo de poucas respirações.

Uma vez que o guerreiro do Clã Serpente Negra da Água viu o corvo vindo, seu rosto mudou em um terror que dificilmente parecia ser o rosto de um ser humano. Ele exclamou. “Corvo de Fogo! Corvo de Fogo! O protetor da Terra Sagrada!”

O Corvo de Fogo desceu com suas penas, as negras, penas que pareciam de aço que gentilmente tocou no corpo do homem; o corpo do homem então explodiu em uma nuvem densa de névoa sangrenta e espirrou em todo lugar. A Serpente de Um Chifre se virou em medo e tentou fugir; mas o Corvo de Fogo abriu o seu bico em direção a serpente e expeliu uma chama vermelha que parecia lava.

A serpente de um chifre chiou sonoramente enquanto ele queimado em cinzas e fumaça. Várias antigas árvores também arderam pelo fogo, igual a algumas poucas tochas.

Depois disso, o Corvo de Fogo espalhou suas asas, aterrissando em um ramo e gritou orgulhosamente em direção ao céu.

Ji Hao deu umas palmadas na cabeça do Corvo de Fogo e saltou para baixo na floresta. Não muito longe, havia uma enorme árvore com vinhas enroladas a sua volta. Ji Hao selecionou organizadamente várias “Vinhas de Dragão” de cem anos e as teceu em uma corda. Então amarrou os homens desmaiados e todos os animais caçados junto com ele.

“Vamos trazer eles de volta primeiro. Sr. Corvo, vamos lá!”

Ji Hao subiu nas costas do Corvo de Fogo novamente, então assoviou afiadamente. O Corvo de Fogo pegou os cativos e animais, bateu suas asas e voou para o sul. Com poucas batidas, o corvo cobrou para o céu. Sua plumagem começou a emitir uma leve, luz ardente; o corvo se transformou em um rastro de chamas e voou para longe, desaparecendo rapidamente.

Uma hora depois, uma majestosa montanha bloqueava o caminho deles. Sobre o topo da montanha, havia mil árvores de amora.

Dezenas de ninhos de grandes pássaros podiam ser vistos no topo das árvores. Milhares de corvos colossais, mesmo maiores que o Corvo de Fogo sobre os pés de Ji Hao, estava flutuando em voltas dessas árvores.

Eles ainda estavam a poucos quilômetros de distância da montanha quando um fluxo de fogo se atirou em direção a eles. Um alto homem musculoso de três metros de altura estava de pé sobre as chamas e rugiu sonoramente para Ji Hao. “Hao! Você escapuliu de novo? Que idade você pensa que tem? Você é somente uma criança! Você não tem medo de ser sequestrado por um grande pássaro?”

Pausando por um segundo, depois de ver os cativos e animais caçados nas garras do Corvo de Fogo, o homem musculoso riu sonoramente e balançou os seus punhos. “Você realmente é o nosso grande irmão, filho de Ji Xia! Onde você capturou essas cobras fedidas? Agora vamos ter escravos mineiros suficientes, para as minas atrás da montanha!”

Ele hesitou por um segundo, então franziu a testa e continuou. “Você deve voltar primeiro. O primo distante do Irmão Ji Xia veio… E ele trouxe suas pessoas… Este cara… Não é amigável em tudo, eu tenho medo que ele não veio aqui com boas intenções…”

As expressões faciais de Ji Hao mudaram. Ele estapeou a cabeça do Corvo de Fogo. O corvo então acelerou em direção a profundo vale abaixo da gigantesca montanha.

—————————————-

[1] Nove escuras marcas roxas e douradas – Uma série de símbolos na qual contém um poder misterioso.

[2] Na misteriosa cultura Oriental, Magos e Magos Sacerdotes usualmente lançam suas magias por formarem certos selos com os seus dedos enquanto cantando o feitiço mágico.

<-Capítulo Anterior | Índice | Próximo Capítulo->