Skyfire Avenue Capítulo 44


Chaper 44 – Contando Historias.

<~~Capítulo anterior | INDEX | Capítulo seguinte ~~>

“Isso é aristocracia!” Três palavras pairavam sobre a classe.

Inconscientemente Jin Tao se sentou um pouco mais reto e um brilho invadiu seus olhos, incitado pelo discurso. Era um sentimento compartilhado por todos presentes.

A expressão dura de Wu Junyi se amoleceu perceptivelmente, e ao seu lado a respiração de Jin Yan se acelerou se adequando ao seu rosto corado.

Os olhos verdes como jade de Tang Mi brilharam, Ao seu lado Zhou QIanlin, e embora sua expressão não tivesse se alterado, seu coração batia excitado.

“Antes do século dezoito da Era passada, nobres ainda eram uma parte integral da sociedade. Eles eram importantes. Mesmo hoje as famílias antigas protegem e passam seus títulos de nobreza, e lhe concedem as próximas gerações. Quando a nobreza decaiu para se tornar o cidadão comum, a burguesia não se levantou, não entrou em conflito com sua cultura. Pelo contrário eles enviaram seus filhos e filhas para escolas preparatórias com a esperança de se tornarem aristocratas. Eles compraram títulos, símbolos e insígnias, qualquer coisa que podiam para poder herdar o manto de ‘nobreza’ . A razão de porque a instituição nobre ainda continua viva hoje é porque ela ganhou a aprovação do povo. Porque as pessoas acreditam que o espírito de nobreza representa uma certa honra… Uma certa dignidade.”

“Nas batalhas do passado, tudo era mais ou menos o mesmo; no campo de batalha eles eram inimigos. Em casa eles eram vizinhos. Olhando para traz agora as pessoas veem esses conflitos como se fossem discussões no pátio de uma escola.”

“Há muito tempo na Era passada um Rei morreu. Ambos seus netos, Henry. e o filho de sua irmã Stephen se considerava no direito de assumir o trono da Inglaterra. Stephen já estava no pais quando o Rei morreu, logo ele foi o primeiro a chegar. Ele se apressou para tomar o trono como seu. Henry, enquanto isso, estava no continente [Inglaterra = Ilha] e ouvindo as notícias se enfureceu. Então ele ergueu um exército de mercenários para confrontar Stephen. Mas Henry era jovem, inexperiente, e ele enviou suas tropas sem um planejamento adequado ou estratégia. Seu exército de Mercenários vinha de longe e finalmente chegou na costa, e desembarcou só para perceber que ele tinha gasto todo seu dinheiro. Sua comida, também, já tinha acabado. O que ele deveria fazer? Foi então que ele pensou em algo que um cidadão comum nunca não conseguiria; Ele escreveu para seu adversário Stephen implorando por ajuda. Eu embarquei em uma expedição, ele disse, mas falhei em trazer as provisões necessárias. Eu peço para que você envie assistência para que eu disperse o exército de mercenários e os envie para casa. Surpreendentemente, Stephen concordou e enviou assistência ao seu segundo primo. E em resposta Henry mais tarde começou um segundo conflito pelo trono.”

Conforme ele contava a historia, Lan Jue retornou ao seu normal, com voz suave. Um pequeno sorriso em seu rosto, e ele continuou com a atenção de todos presentes no hall.

“Alguém lhe oferece assistência financeira, e você retorna o favor tentando lhe assassinar. A maioria iria lhe considerar, no mínimo , ingrato, mas nobres acreditam que complacência com o inimigo é algo óbvio. Se competição é necessária, então competição vai existir. E então alguns anos mais tarde Henry liderou seu exército contra Stephen em uma segunda tentativa. Nesse ponto ele já era mais velho e experiente, o que resultou na derrota de Stephan. Ele tinha atingido a vitória, mas o resultado era um bocado interessante. Os dois assinaram um tratado aonde eles concordaram que Stephen permaneceria no Trono, mas Henry se tornaria seu sucessor. Não muito tempo depois de Stephen perecer devido a idade, Henry se tornou Rei. Para o homem comum ganhar um título de sucessor depois de vencer uma batalha tão difícil dificilmente parecia valer a pena. Mas isso é precisamente o espírito da nobreza. Henry usou o código da aristocracia para pagar Stephen pela sua complacência no passado.”

Lan Jue pausou como se estivesse perdido em pensamento. Gradualmente o seu olhar cresceu serio. ” Em relação ao espírito nobre, ainda existe outra história que me causa calafrios, um conto inesquecível. Quando ai ainda era um estudante, uma história que meu próprio professor me contou. Eu vou contar a vocês.”

“Na Era passada a humanidade tinha produzido um Navio Maciço. Eles o batizaram de Titanic.”

“O nome Titanic tinha sido pego da Mitologia grega, se referindo aos gigantes chamados de Titãs. Os titãs desejavam guerrear com o o deus Zeus em nome das forças misteriosas da natureza. Eles foram derrotados no final, e banidos para para as profundezas do oceano atlântico, enterrados no décimo oitavo nível do inferno. Logo, as pessoas diziam que o nome ‘Titanic’ foi uma péssima escolha, fatídico, e traria catástrofe.”

“E como previsto, o Navio afundou para as profundezas do oceano em um acidente.”

Na menção de Zeus. Zhou QIanlin inevitavelmente levantou a cabeça. Seus olhos encontraram com os de Lan Jue, lhe encarando.

Lan Jue continuou. “Mas a diferença entre esse grande navio e os Titãs dos contos era que a única coisa que afundou era o aço… os parafusos. As pessoas. Mas seu espirito nunca foi derrotado. Isso quer dizer que sim o Titanic afundou, levando com ele as vidas de mil e quinhentos passageiros. Mas o espírito invencível da civilização humana permaneceu. Inafundavel.”

A voz de Lan Jue cresceu mais alta conforme ele continuava.

“Conforme o barco afundava oito músicos calmamente permaneceram no topo do deck, tocando seus instrumentos. Essas notas incorporavam a dignidade e honra do espirito Humano. se recusando a se curvar perante as atos impiedosos da natureza. Assim como o famoso escritor Hemingway escreveu em seu livro O Velho e o Mar (The Old Man and the Sea, no original em inglês) : Um homem não foi feito para a derrota. Um homem pode ser destruído mas não derrotado. Os tubarões seguindo o velho poderiam abocanhar os peixes em seu barco até que só sobressem ossos, mas eles não podiam devorar o espírito destemido do marinheiro. Esse era o fogo incandescente do seu espirito, a vontade de um homem, e nem mesmo o oceano inteiro poderia apaga-lo.

“Mesmo muitos anos depois, as pessoas ainda glorificavam as ações daqueles músicos e marinheiros. Como podiam eles ter tanta coragem quando presentes a se afogar em salmoura¹? Como eles podiam se ater a seus deveres quando a morte estava a espreita nas águas tumultuadas? Como poderiam reter o sentimento nobre de esperar até que mulheres e crianças tinham entrado nos barcos salva-vidas antes de considerar a si mesmos? Estatísticas dizem que setenta e seis por cento dos marinheiros morreram nesse acidente, uma proporção que superava o número de passageiros da primeira, segunda e terceira classe combinados. Os marinheiros até tinham preferencia na evacuação acima dos passageiros – mas eles deram a oportunidade para os outros. Eles tomaram a desesperança para si mesmos. Não era um ou dois marinheiros que fizeram isso. Todos os novecentos membros, incluindo garçons, marinheiros, bombeiros e até o cozinheiro, todos escolheram ficar para trás; tantas pessoas. Dispostas a fazer o que eles fizeram. Pensando nisso hoje, esse tipo de espírito elevado da humanidade não é diferente do que eles dizem sobre o acidente daquele grande navio. é quase inacreditável.”

<~~Capítulo anterior | INDEX | Capítulo seguinte ~~>