Skyfire Avenue Capítulo 31


Chapter 31 – Prata Arlequina

<~~Capítulo anterior | INDEX | Capítulo seguinte ~~>

O homem corpulento lutou para ficar de pé depois do Barbeiro joga-lo para longe. Ele sabia precisamente o quão forte ele era, mas não era estupido – se o Barbeiro era capaz de arremessa-lo pro lado tão facilmente, ele não era estupido de começar qualquer outro confronto. Ele se virou melancolicamente, tentando ir embora.

“Parado.” O Barbeiro chamou duramente.

O Grande Careca se virou. “O que que se vai fazer a respeito huh?” ele disse ameaçadoramente, mas medo tomava conta de seus olhos.

O Barbeiro o olho com indiferencia.”Eu deveria estar perguntando isso pra você. Você sabe onde estamos?”

Um brilho sinistro brilhou nos olhos do Careca. “Avenida Skyfire.”

“Oh então você sabe.” O Barbeiro disse, “E ainda assim você deliberadamente quebra as regras.”

O Careca rugiu “Eu não quebrei regra nenhuma. Onde esta escrito que você não pode caminhar do lado oposto da rua?”

O rosto do Barbeiro adotou uma expressão de surpresa. “Então você sabia que estava indo contra o fluxo da multidão! Isso é bom. Na verdade você esta correto, não existe nenhuma regra que proíbe caminhar contra o fluxo da multidão. Mas isso era antes. De agora em diante existe essa regra. Porque eu disse que ela existe. Quando eu voltar vou emitir a provisão[1] ao conselho de Skyfire. E de acordo com as regras você deve ser punido por quebrar as regras.”

As feições do Careca empalideceram “Ta certo, e como você vai provar huh!” Conforme ele cuspiu suas palavras, ele se virou e correu pela em direção ao fim da rua.

O Barbeiro zombou ironicamente. “Esses marginais do Grande Conclave são tão estúpidos quanto uma porta. Vamos continuar.”

Conforme ele falou ele começou a se mover para frente, aparentemente perdendo qualquer interesse no Careca. Nem Lan Jue nem a Esteticista se deram ao trabalho de seguir o homem.

O Grande Careca, enquanto isso, avançava empurrando pela multidão selvagemente. Alguns momentos depois, ele virou a cabeça para garantir que não estava sendo seguido por aquele homem baixinho com os olhos malignos, e suspirou aliviado.

“Venha conosco” uma voz ordenou. Um homem de meia-idade estava a seu lado, ambas as mão nos bolsos se suas calças.

“Q-quem é você?” Careca gaguejou. Ao seu redor meia dúzia de homens em ternos cinzas tinham silenciosamente se aproximado.

“Coação da Avenida Skyfire” o homem respondeu impacientemente.

“Que provas você tem pra me levar?” Os músculos do Careca incharam ameaçadoramente.

O homem de meia-idade suspirou. “Você é cego então? Você não sabe em quem você esbarrou? Você provavelmente poderia ter causado um pouco de problema para outros que não o Barbeiro e ter ficado bem, sabia. Você tem sorte que ele estava de bom humor também, senão não precisaríamos vir coleta-lo.”

Conforme falava, suas mãos brilharam. O careca tentou gritar, mas a única coisa que emergiu foi um engasgo sufocante, antes de ele cair no chão.

“Leve-o.”

 

ζ

Lan Jue viu a cúpula geodésica¹ se erguer a sua frente, seu rosto revelava seu interesse. “É minha primeira vez aqui.Eles chamam de Arena do Ceifador, certo?”

O Barbeiro olhou para ele em um sorriso. “Correto.”

A arena do ceifador, um local onde Adeptos traziam seus inimigos para um duelo. Era o mais justo que você iria conseguir. As duas partes assinavam um acordo absolvendo a outra pela sua morte. Combatentes lutavam até o fim, destino decidindo quem viviam e quem morria. Vingança não era permitida. Algumas vezes o Conselho Skyfire hospedava lutas entre combatentes com ódios particularmente profundos. Nesses dias apostadores vinham em bandos. Os negócios iam surpreendentemente bem.

Lan Jue riu. “De repente meu humor melhorou. Eu vou lhe propor, Barbeiro – nós somos ambos homens respeitáveis, nobres, e nunca lutamos antes. Que tal uma aposta?”

O Barbeiro piscou surpreso. “Você quer apostar comigo?”

“Naturalmente!” Lan Jue sorriu.

O Barbeiro bateu palma, o som ecoando pela área. Sorrindo, ele respondeu, “Excelente ideia! Como você sabia o que eu estava pensando. Ahh, Eu não sou digno de ser um conselheiro – você me entende bem demais. Certo, para dizer a verdade eu tenho estado de olho naquele Diamante Soulfire[2] na sua loja, o de cinquenta quilates. Infelizmente eu estou embaraçosamente curto em capital. Considerando que nós nunca fomos próximos eu nunca teria inapropriadamente te pedido diretamente.”
Realização brilho no rosto de Lan Jue. “Você devia ter dito algo antes. Nós somos todos conselheiros, e os descontos da loja são de acordo com a minha vontade. Mas vendo você assim, Eu assumo que você não/ao tinha o interesse em gastar o dinheiro de qualquer maneira.”

O Barbeiro assentiu com a cabeça.

A Esteticista se erguia próxima, sorrindo agradavelmente. “Já que vocês dois me convidaram [3] para ser a juíza, Eu tenho que ter certeza de que as apostas são iguais, para que este seja uma competição justa. Você quer a gema Soulfire , Pequeno Tosquiador, mas você vai ter de oferecer algo de igual valor em retorno.”

“Claro.” O Barbeiro respondeu. “Eu sou um homem de negócios justo e honesto. O que você acha disso Mestre das Joias?”

As mãos do Barbeiro buscaram algo em sua jaqueta enquanto ele falava, voltando em um momento com algo em punho.

Um metal aproximadamente do tamanho da sua palma emitia um brilho etéreo, como se luz do sol nascesse de dentro dele. Ele brilhava todo o espectro de cores.

Os olhos de Lan Jue arregalaram-se. “Essa é uma aposta justa.” ele disse , sem hesitação.

O metal revelado na mão do Barbeiro era chamado de Prata Arlequina. Como Técnicium ele era super condutivo, mas mais raro. Em adição a ser capaz de transmitir a maior parte do poder usado nele, misturar uma pequena parte em uma liga metálica produziria uma arma capaz de amplificar o poder de qualquer Adepto. Um pedaço daquele tamanho era muito mais valioso do que a gema SoulFire que o Barbeiro pediu.[4]

Existiam vários planetas aonde Técnicium podia ser minerado, mas encontrar Prata Arlequina acontecia por sorte. Ela era excessivamente difícil de coletar, apenas traços eram encontrados acompanhando certos metais. Muito difícil de fato.

O Barbeiro entregou a Prata Arlequina pra a Esteticista. “Então está decidido.”

Conforme falou, ele entrou a arena do ceifador.

A arena do ceifador era , na verdade, varias arenas juntas. Do lado de fora a edificação em si não parecia tão grande, mas as arenas dentro eram todas construídas com características específicas. Dependendo se alguém entrava para uma luta ou um treino, uma taxa era necessária. Isso garantia um juiz profissional, registro, e registro do combate. Só então você podia lutar.

Claro, para Lan Jue e seus acompanhantes como membros do Conselho Skyfire, eles não tinham que pagar. Eles também podiam usar livremente a melhor arena. Necessária para uma luta de alto-nível.

O Barbeiro registrou ambos para uma sessão de sparring². Apesar de seus status como Conselheiros, eles ainda tinham que se entrar nos registros. Em relação a apostas, entretanto, isso era decidido pessoalmente por eles. Se eles quisessem que a arena agisse como mediadora, uma taxa adiantada de 10% dos valores da aposta era necessária.

“Você quer fazer o deposito da taxa para a arena, Mestre das Joias?” O Barbeiro perguntou, encolhendo os ombros.

Lan Jue respondeu com um sorriso. “Você decide.”

 

<~~Capítulo anterior | INDEX | Capítulo seguinte ~~>


[1]Provisão : documento oficial em que o governante confere cargo, dignidade, ofício etc., libera o exercício de uma profissão ou emite instruções.

[2] SoulFire é o nome do diamante , melhor tradução seria fogo espiritual?X_X

[3] Convidaram minha bunda, você se convidou Humpf

[4] Lan Jue safado, justa né.